Fórum do Conhecimento debate tecnologias exponenciais

Fórum do Conhecimento debate tecnologias exponenciais

A Seguros Unimed realizou, na última quinta-feira (6), a segunda edição do ano do seu Fórum do Conhecimento. O superintendente de Provimento da Seguradora, Dr. Luís Fernando Rolim Sampaio, apresentou o tema “Singularidade e Tecnologias Exponenciais”. O evento é realizado mensalmente e reúne lideranças da Companhia para debater temas relacionados ao negócio.

Durante a apresentação, ele compartilhou as principais experiências adquiridas no curso executivo da Singularity University, nos Estados Unidos. Segundo ele, o conceito de singularidade define o ponto de transição ou superação da inteligência das máquinas sobre a inteligência humana, previsto para ocorrer até a próxima década. Nesse cenário, as tecnologias exponenciais já estão transformando indústrias, empresas, carreiras e vidas. “Este é um cenário que vai nos trazer muita abundância, mas também muitos riscos”, explicou.

Dr. Luís também explanou sobre a necessidade de se estabelecerem novos parâmetros éticos e regulamentações, para que seja possível lidar com dilemas e conflitos gerados pela expansão da inteligência artificial e da inovação digital, bem como sua aplicação aos negócios. Entre as megatendências apresentadas por ele, estão:

  • Aumento da abundância global
  • Aceleração da demonetização e democratização
  • Tudo, todo lugar está conectado
  • Você pode saber qualquer coisa, a qualquer hora
  • Aumento da inteligência artificial

A apresentação também foi organizada em torno de grandes áreas de estudo abordadas no curso, como biotecnologia, robótica e inteligência artificial, energia e meio ambiente, medicina e neurociência, redes e sistemas de computação e nanotecnologia.

“Buscamos levantar questões sobre os temas para pensarmos nosso futuro como indivíduos e como empresa, e os desafios que os cenários voláteis, incertos, complexos e ambíguos, do acrônimo Vuca, nos impõem. Será certamente instigante e inquietante: em alguns casos ainda uma ficção aparentemente distante, mas em outros já uma realidade”, frisou.

Inovação e Disrupção

O superintendente comentou sobre as seis dimensões das tecnologias. “A diferença entre inovação e disrupção é que na inovação fazemos a mesma coisa de uma forma melhor. Já na disrupção, fazemos coisas novas que transformam as coisas que existem em obsoletas”, explicou.

Clique e veja um vídeo sobre como as mudanças interferem no nosso dia a dia.

As mudanças ao longo do tempo não se limitam ao campo tecnológico. Para se ter uma ideia, de 1940 até agora, 330 novas doenças foram geradas. “Os riscos de saúde global também mudaram ao longo dos anos. Em 2009, segundo o Fórum Econômico Mundial, o mapeamento dos riscos que mais preocupavam incluía o colapso do preço de ativos e as doenças crônicas, por exemplo. Já em 2019, isso mudou para eventos climáticos extremos e desastres naturais no topo da lista”.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.